você está em:

 


 

Carta ao Povo do Acre (1980)

publicado em 20/07/2010




O assassinato do líder sindical Wilson de Souza Pinheiro[1], vem demonstrar mais uma vez, a escalada de violência por parte daqueles que detêm o poder contra todas as formas legítimas de organização com que o povo procura defender seus direitos – tão esmagados pela tirania de um regime de terror.

A morte do líder sindical de Brasiléia vem comprovar, de uma maneira bastante acentuada, que o poder está nas mãos de quem tem dinheiro, e que por isso é conduzido da maneira que melhor lhes convêm. A prova disso é cumprimento da ameaça feita pelo secretário municipal de Xapuri Guilherme Lopes quando disse: O problema fundiário no Acre só será solucionado com a morte de alguns padres e líderes sindicais.

Os resultados da tão chamada “abertura política” estão aí, desta vez, sendo morto mais um grande líder sindical do Acre, para que o capitalismo selvagem possa agir com maior liberdade.

O Governo do Estado há tempo vem sabendo das ameaças de morte feitas pelos seringalistas, fazendeiros e grileiros da região aos líderes sindicais e pessoas ligadas ao trabalho do povo, no entanto, nem uma medida até o presente momento foi tomada pelos órgãos oficiais no que diz respeito a tais fatos.

O crime de Brasiléia deixa clara a firme disposição dos donos do poder de continuarem explorando e massacrando o povo brasileiro até as últimas consequências. Portanto, não podemos consentir que continue a cínica impunidade em que permanecem todos aqueles que covardemente vêm atacando os que lutam verdadeiramente, com o suor de seu trabalho, por um Brasil melhor.

Diante do acontecido exigimos a imediata punição dos responsáveis por mais este atentado contra os trabalhadores acreanos. Sabendo que não basta simplesmente punir um pistoleiro profissional quando nada acontece aos grandes criminosos que com o poder de seu dinheiro tramam contra a vida de todos aqueles que se opõem à sua exploração desenfreada.

O nosso total apoio ao povo trabalhador.

Centro de Defesa dos Direitos Humanos do Acre

Cimi – Conselho Indigenista Missionário

Fetac – Federação de Teatro Amador do Acre

Comissão Pró-Índio

CCE – Ceseme

 

Fonte: Panfleto do acervo do Centro Sérgio Buarque de Holanda – Fundação Perseu Abramo

 

Tags:  




 

Partido dos Trabalhadores


FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO
Rua Francisco Cruz, 234 - Vila Mariana - CEP 04117-091 - São Paulo - SP - Brasil Fone: (11) 5571-4299 - Fax (11) 5571-0910