você está em:

 


 

O povo na rua

publicado em 13/02/2010

 

A política de “distensão”, que alternava iniciativas de “liberalização” da ditadura com medidas de endurecimento e engessamento institucional, se mostrou apenas como um projeto de “prolongada retirada” do poder. Em 1975, o assassinato do jornalista Vladimir Herzog sob tortura em São Paulo, fez com que o controle do projeto perdesse sua efetividade. De 1975 a 1979 as manifestações de protesto pelo assassinato de Herzog, a multiplicação dos movimentos populares nas grandes cidades, as mobilizações estudantis, as vitórias eleitorais da oposição, o fim da censura prévia nos jornais, a volta das greves de trabalhadores, as quais vinham apoiadas em denúncias de manipulação nos índices econômicos que denotavam a visível falência do “milagre brasileiro”, o aparecimento do novo sindicalismo, a revogação do AI-5, o fim do bipartidarismo e a anistia, todas elas envoltas em mobilizações amplas e que ocupavam as ruas deixaram isto muito claro.

 

Aurélio Perez no ato pela Anistia e protesto pela morte de operário assassinado em Belo Horizonte [Jesus Carlos/Acervo Em Tempo/CSBH]

 

José Genoíno em ato público pela Anistia, no dia 30 de julho de 1979, em São Paulo [Jesus Carlos/Acervo Em Tempo/CSBH]

 

Manisfestação Cinelândia no dia 26 de julho de 1979 [Antonio Claúdio/Acervo Em Tempo/CSBH]

 

Ato Público em São Paulo pelos presos políticos no dia 10 de agosto de 1978 [Niels Andreas/Acervo Em Tempo/CSBH]

 

Ato pela anistia em frente a um banco [Autor sem identificação/Acervo CSBH]

 

Ato pela anistia em Porto Alegre, 1978 [Autor sem identificação/Acervo CSBH]

 

Tags:  




 

Partido dos Trabalhadores


FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO
Rua Francisco Cruz, 234 - Vila Mariana - CEP 04117-091 - São Paulo - SP - Brasil Fone: (11) 5571-4299 - Fax (11) 5571-0910