você está em:

 


 

Os exílios

publicado em 13/02/2010

 

As perseguições, as violências institucionais e repressivas de todo o gênero cometidas contra os adversários da ditadura militar espalharam-se indiscriminadamente ao seu redor, envolvendo amigos e familiares. Isto levou um sem-número de brasileiros ao exílio, estimados em torno de 10 mil. As difíceis condições materiais de existência, as dificuldades de adaptação em países de idiomas e culturas distintos, o isolamento, as seqüelas físicas e psicológicas das violências sofridas no Brasil foram, entre várias outras conseqüências, também um mais fardo provocado na vida desses milhares de brasileiros pela ditadura militar. E para aqueles que permaneceram, na medida em que a violenta reação da ditadura desmantelou um a um os grupos que optaram pela luta armada, a clandestinidade, o vislumbre da possibilidade da prisão, da tortura, da vida e da morte, e da prisão também deixou suas pesadas marcas.

 

Cartaz aponta os “procurados” pelo regime e fomenta a denúncia

 

Detalhe do jornal Anistia traz imagem do desembarque de Flavio Tavares no exílio em Lisboa [Anistia, abril/1978]

 

Em detalhe do jornal Anistia, Augusto Boal reafirma o exílio. Desde 1971, depois de preso e torturado, o artista vivia no exterior, tendo passado pela Argentina, Peru e Equador e só voltaria definitivamente em 1986, quando se instalou no Rio de Janeiro [Anistia, 1978]

Tags:  




 

Partido dos Trabalhadores


FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO
Rua Francisco Cruz, 234 - Vila Mariana - CEP 04117-091 - São Paulo - SP - Brasil Fone: (11) 5571-4299 - Fax (11) 5571-0910