você está em:

 


Detalhes do Livro

Renée France de Carvalho - Uma vida de lutas
Autores: VIANNA, Marly de Almeida Gomes (org.) CARVALHO, René Louis de (org.) CASTRO, Ramón Peña (org.)
Sinopse:

A vida da militante de esquerda Renée France de Carvalho.

Dados Técnicos

ISBN:2147483647

Páginas:240

Ano:2012

Edição:1

Idioma:Português

Peso:350



 

As heranças malditas da ditadura

publicado em 31/03/2012

Por Emir Sader
Fonte

Agência Carta Maior - 31/03/2012

Fonte: 
<p>Ag&ecirc;ncia <a href="http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&amp;post_id=934">Carta Maior</a> - 31/03/2012</p>
Por: 
Emir Sader

 

Tags:  



 

O golpe, a ditadura e a direita brasileira

publicado em 31/03/2012

Por Emir Sader
Fonte

Agência Carta Maior - 28/03/2012

Fonte: 
<p>Ag&ecirc;ncia <a href="http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&amp;post_id=931">Carta Maior</a> - 28/03/2012</p>
Por: 
Emir Sader

O golpe e a ditadura foram a desembocadura natural da direita brasileira – partidos e órgãos da mídia, além de entidades empresariais e religiosas. A direita brasileira aderiu, em bloco, ao campo norteamericano durante a guerra fria, adotando a visão de que o conflito central no mundo se dava entre “democracia”(a liberal, naturalmente) e o comunismo (sob a categoria geral de “totalitarismo”, para tentar fazer com que aparecesse como da mesma família do nazismo e do fascismo).

Tags:  



 

Levante Popular da Juventude: Grupo realiza protestos contra torturadores em várias cidades

publicado em 27/03/2012

Por Fábio Nassif
Fonte: 
<p><a href="http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=19837">Ag&ecirc;ncia Carta Maior, em 27/3/2012</a></p>
Por: 
Fábio Nassif

São Paulo - Às vésperas da data que marca os 48 anos do golpe militar no Brasil, um grupo de jovens iniciou nesta segunda-feira (26) uma série de ações que buscam dar visibilidade à impunidade de torturadores e acusados de outros crimes durante a ditadura ainda vivos. O Levante Popular da Juventude realizou "escrachos" em algumas capitais do país, como forma de denunciar os acusados desses crimes na frente de suas casas ou empresas.

Tags:  



 

E mais uma vez, a direita brasileira fica chupando o dedo...

publicado em 31/05/2011

Por Flavio Aguiar
Fonte: 
<p><a href="http://www.redebrasilatual.com.br/multimidia/blogs/blog-do-velho-mundo/e-mais-uma-vez-a-direita-brasileira-fica-chupando-o-dedo../view">Rede Brasil Atual, em 30/5/2011</a></p>
Por: 
Flavio Aguiar

Pois é, Manuel Zelaya voltou a Honduras. Foi recebido entusiasticamente no aeroporto por seus correligionários. Pediu à OEA que reintegre o país a seu conselho. Fechou um acordo político com o atual presidente Porfírio "Pepe" Lobo, que lhe abre campo para uma intensa participação política. Vai tudo de vento em popa.

Tags:  



 

Quem tem medo da verdade?

publicado em 30/03/2011

Por Nilmário Miranda
Fonte: 
<p><a href="http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=17616"><strong>Ag&ecirc;ncia Carta Maior em 30/03/2011</strong></a></p>
Por: 
Nilmário Miranda

Eu não tinha 17 anos quando veio o golpe, destruindo meus sonhos das grandes reformas de base. Morava na então pequena Teófilo Otoni (MG). Os ferroviários da lendária Estação de Ferro Bahia-Minas cruzaram os braços. Foi o único e solitário protesto (no ano seguinte a EFBM foi extinta).

Tags:  





 

Um ano depois, documentário registra repressão e resistência em Honduras

publicado em 17/06/2010

Por Flamarion Maués, de Buenos Aires
Fonte: 
<p><a href="http://www.rodrigovianna.com.br/colunas/livros-e-historia/um-ano-depois-honduras-e-sua-resistencia.html">Escrevinhador, em 12/6/2010</a></p>
Por: 
Flamarion Maués, de Buenos Aires

Quase um ano atrás, em 28 de junho de 2009, ocorreu o golpe que derrubou o presidente constitucional de Honduras, Manuel Zelaya. Desde então uma forte reação popular se desencadeou no país, além de uma grande pressão diplomática contra o governo golpista e seu continuador, o atual presidente Porfírio Lobo.

Tags:  



Tags     0 comentário

ESPECIAL - 1964: para não esquecer

publicado em 31/03/2010

Passados 46 anos do golpe militar de 1964, a sociedade brasileira ainda ouve ressoar os ecos do movimento que colocou o país sob ditadura por mais de 20 anos.




 

ESPECIAL - 1964: para não esquecer

publicado em 31/03/2010

Imagem SlideShow: 

Passados 46 anos do golpe militar de 1964, a sociedade brasileira ainda ouve ressoar os ecos do movimento que colocou o país sob ditadura por mais de 20 anos. Longe de comemorar a data, como fazem os que nomeiam de Revolução de 1964, a esquerda e as forças progressistas fazem movimento no sentido contrário: de relembrar os fatos e manter viva a lembrança das consequências nefastas para milhares de brasileiros e brasileiras, muitos dos quais mortos, e outros tantos ainda dados como desaparecidos. 

Tags:  




 

Partido dos Trabalhadores


FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO
Rua Francisco Cruz, 234 - Vila Mariana - CEP 04117-091 - São Paulo - SP - Brasil Fone: (11) 5571-4299 - Fax (11) 5571-0910